Notícias e publicações

19 dezembro 2017

Delegados, investigadores, escrivães e advogados são presos em Minas Gerais

Operação contra corrupção e outros crimes prende delegados e funcionários da Polícia Civil no Sul de MG

Investigados foram presos em Pouso Alegre e Passos. Operação do Ministério Público também cumpre mandados em outras oito cidades de MG, além de Paraná e Mato Grosso.

Uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, cumpre mandados de prisão, busca e apreensão contra delegados, investigadores, escrivães e advogados na manhã desta terça-feira (19). A operação foi deflagrada em 12 cidades de três estados – Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná. No Sul de Minas, são cumpridos mandados de prisão em Pouso Alegre e Passos.

A Operação Fênix, realizada pela unidade do Gaeco em Uberlândia (MG), em parceria com Pouso Alegre, Patos de Minas e Uberada, cumpre 200 mandados de prisão preventiva expedidos contra 136 pessoas. Também são cumpridos 121 mandados de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva.

Entre os presos, estão 10 delegados de polícia, uma delegada regional, dois escrivães, 45 investigadores e sete advogados. Segundo o Ministério Público, a ação faz parte da união de três outras operações, que combatem mais de 10 crimes, entre corrupção, associação criminosa, tráfico de drogas, receptação, fraude, estelionato e outros.

Em Pouso Alegre, o delegado regional André Vinícius Corazza foi levado para o Ministério Público em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Um outro delegado, do município de Jacuí (MG), Matheus Ponsancini, foi detido em Passos (MG) e levado para o Ministério Público em Pouso Alegre. O MP ainda não divulgou nenhuma informação sobre a participação dos delegados.

Além das cidades do Sul de Minas, a operação acontece em Uberlândia, Uberaba, Araguari, Patos de Minas, Patrocínio, Monte Alegre de Minas, Araxá e Belo Horizonte. As duas cidades de outros estados são Cascavel (PR) e Cuiabá (MT).

Participam da operação quase 500 policiais militares, com apoio de policiais rodoviários federais, além de promotores de Justiça e auditores da Receita Estadual.

Veja o vídeo da matéria: https://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/delegadospresos