Notícias e publicações

14 outubro 2017

Policial é atacado com um taco de beisebol e mete o aço no agressor

Militar que atirou e matou um rapaz que havia o agredido com um taco de beisebol foi levado para a DHPP, onde prestou esclarecimentos e foi liberado.

O policial militar que baleou e matou um rapaz que o agrediu com um taco de beisebol, na madrugada desta sexta-feira (13), em Vila Velha, foi liberado após prestar depoimento na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

De acordo com a Polícia Civil, a ação do militar foi caracterizada como legítima defesa. O caso vai seguir sob investigação da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCVV).

Já a Polícia Militar informou que todas as circunstâncias da ocorrência estão sendo apuradas e que a corregedoria da PM vai apurar a conduta do militar.

A briga

A briga aconteceu em um posto de combustíveis no bairro Aribiri, por volta das 5h30. De acordo com a polícia, Rafael Barcelos Domingues estava bebendo com uma mulher, no estabelecimento, quando os dois começaram a discutir.

O policial, que também estava no posto, viu a confusão e tentou apartar a briga. No entanto, o rapaz não teria gostado da atitude do militar e os dois iniciaram uma discussão.

De acordo com testemunhas, ao perceber a briga, uma funcionária do posto entregou ao policial um taco de beisebol. Enquanto o PM acionava o Ciodes, o homem tomou o objeto das mãos do militar e o golpeou na cabeça.

Ao reagir à agressão, o policial sacou a arma e disparou pelo menos quatro vezes. Um dos tiros atingiu o abdômen do rapaz.

Uma equipe do Samu foi acionada para socorrer as vítimas. Rafael recebeu os primeiros socorros dentro de uma ambulância e, durante 40 minutos, a equipe tentou estabilizar o rapaz, mas ele não resistiu aos ferimentos.

Já o policial foi levado em um carro particular para o Hospital Antônio Bezerra de Faria. De acordo com funcionários, o militar precisou receber pontos no ferimento.

A briga foi registrada por câmeras de segurança do estabelecimento e as imagens vão ajudar a Polícia Civil na investigação do caso.